Home / Destaque / Gestores discutem estratégias para garantir mais recursos na qualificação dos serviços essenciais

Gestores discutem estratégias para garantir mais recursos na qualificação dos serviços essenciais

Orçamento da União para 2018, crise nos municípios e ações que visam melhorar as condições das administrações municipais foram pontos discutidos durante o encontro realizado na Associação Piauiense dos Municípios (APPM), no dia 30 de janeiro, que reuniu centenas de prefeitos, bancadas estadual e federal, vice-governadora Margarete Coelho, presidente da Eletrobras Arquelau Amorim, superintendente da Caixa Econômica Federal, Elizomar Guimarães, além de representantes da Funasa.

“Essa foi a primeira reunião do ano, em que ouvimos os parlamentares, e tratamos da pauta municipalista. Debatemos sobre propostas de emendas constitucionais e projetos de lei que estão tramitando no Congresso Nacional que precisamos dar celeridade, uma vez que esses abordam temas importantes e relevantes para os municípios brasileiros, que vão garantir mais recursos e investimentos na qualificação dos serviços essenciais nas áreas da saúde, educação, assistência social e infraestrutura”, disse Gil Carlos.

De acordo com o deputado federal Júlio César, essa é uma estratégia para aprimorar as condições das gestões municipais. “Aumentando a participação dos municípios no IPI, imposto de renda e FPM, poderemos melhorar a distribuição do ICMS, consequentemente, garantindo aos municípios mais autonomia em gerenciar suas contas e reparar o cenário no qual se encontram”, concluiu.

O superintendente da Caixa Econômica Federal, Elizomar Guimarães, apresentou números referentes ao orçamento geral da União com o objetivo de promover um maior debate entre os gestores e os órgãos, além de propor estratégias para a prospecção de maiores recursos para o ano de 2018.

“Em 2015, a Caixa conseguiu viabilizar a contratação de recursos do AGU na ordem de R$ 72 milhões, já em 2016 o volume contratado foi de R$ 87 milhões. Em 2017, mudamos a dinâmica e conseguimos viabilizar o máximo de recursos e emendas parlamentares, que totalizaram um valor referente a R$ 146 milhões dobrando o volume de contrato em relação ao ano de 2015. No entanto, é importante que os gestores municipais junto com suas equipes acompanhem a efetividade dos contratos para que a destinação orçamentária cresça ainda mais”, explicou Guimarães.

O encontro abordou questões como as constantes queda do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), apoio dos órgãos públicos federais nas cidades, e também sobre como administrar recursos na crise econômica, além de tratar sobre a maior participação do governo federal no auxílio aos municípios.

 

Fonte: Ascom APPM

Veja Também

O circo, depois de quatro anos, eles estão de volta

Sem honestidade, sem ética, sem vontade de lutar pelo bem comum, com propostas, “indecentes ou ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *