Home / Notícias / Piauí descarta um caso de microcefalia que já havia sido confirmado
EU QUERO

Piauí descarta um caso de microcefalia que já havia sido confirmado

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado hoje (11) pelo Ministério da Saúde, o Piauí descartou um caso de microcefalia que havia sido confirmado na semana passada. Há sete dias, o Estado possuía 75 casos da malformação confirmados, e 62 descartados. Nesta quarta-feira (11), o número de casos confirmados caiu para 74 e o de casos descartados subiu para 63. O boletim também traz outro dado positivo para o Piauí: o Estado manteve as 160 notificações de microcefalia que tinha na semana passada. Desse total, a Secretaria de Estado da Saúde investiga 23 casos.

O Piauí é o estado do Nordeste que menos tem notificado casos de microcefalia, de acordo com o Ministério da Saúde. Em contrapartida, Pernambuco já vem respondendo por quase 26% das notificações de todo o país, totalizando 1.930. No Brasil, já foram notificados 7.438 casos suspeitos desde o início das investigações, em outubro do ano passado. Desse total, 3.433 seguem em investigação, outros 2.679 foram descartados por apresentarem exames normais ou por apresentarem microcefalia e/ou malformações confirmadas por causa não infecciosa ou que não se enquadrem na definição de microcefalia.

O Ministério da Saúde confirmou 1.326 casos confirmados em 484 municípios. Apenas os estados do Acre e de Santa Catarina. Destes casos, 205 tiveram confirmação para o vírus zika. Desde quando se começou a fazer o monitoramento das notificações, já foram registrados 262 óbitos suspeitos de relação com a microcefalia e/ou alteração no sistema nervoso. Destes, 56 foram confirmados para a microcefalia e outros 174 continuam em investigação. 32 foram descartados.

Por: Maria Clara Estrêla, com informações do Ministério da Saúde

Veja Também

Ataques golpistas somam mais de 1,5 mil presos; acampamento no DF é desfeito

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou que, nas últimas 24 horas, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *