Home / Destaque / Empresa de Robótica iniciará fabricação de 300 respiradores no Piauí

Empresa de Robótica iniciará fabricação de 300 respiradores no Piauí

A partir de segunda-feira (25), a empresa Robótica Tron, startup piauiense com sede em Parnaíba, iniciará a fabricação de 300 respiradores mecânicos para ajudar no tratamento de pacientes com Covid-19 no estado.

A informação foi confirmada nesta segunda-feira (18) pelo professor e pesquisador Gildário Lima, proprietário da Robótica Tron e coordenador do projeto.

A empresa já apresentou os primeiros protocolos a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e continua os testes em parceria com Universidade Federal do Delta do Parnaíba, a Fapepi (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí) e Universidade Federal do Piauí (Ufpi).

O protótipo – batizado de AIR-TRON – segundo a empresa está sendo construído de acordo com as normas da Associação Médica Brasileira (AMB).

O ventilador mecânico pulmonar é de baixo custo e a venda no mercado será em torno de R$ 6 mil a R$ 7 mil. Hoje, o mercado estrangeiro vende de R$ 50 mil a 160 mil um respirador.

A empresa de robótica informou que serão produzidos, inicialmente,  300 respiradores que vão ajudar hospitais públicos do estado.

Gildário Lima garantiu que faz tratativas com a Anvisa para que o equipamento seja liberado o mais rápido possível.

“O respirador não precisa de testagem em humanos, vamos atender todos os protocolos da Anvisa, e enviaremos os documentos e laudos dos equipamentos o mais rápido possível”. disse Gildário.

A Ufpi durante toda essa semana estará fazendo testes de robustez e da parte elétrica do respirador. “Estamos aferindo todas as peças para definir uma carta de manutenção para saber o tempo de duração do equipamento e o período de troca das peças”, disse o professor Fábio Rocha, do Curso de Engenharia Elétrica da Ufpi. Os testes deverão ser concluídos até sexta-feira.

Gildário informou que Associação dos Fisioterapeutas e uma junta de médicos de larga experiência avaliaram o protótipo e deram laudo positivo.

Segundo Gildário, 40 pesquisadores estão trabalhando no protótipo que conta com apoio também da Fiepi, dos Sesc do Piauí e de Minas Gerais e do governo do estado do Piauí.

De acordo com o pesquisador, o diferencial do respirador fabricado no Piauí é que todos os componentes são encontrados no País. No final de semana chegaram novos componentes para a fabricação do equipamentos. O governo do estado enviou um avião para buscar os componentes e insumos dos ventiladores mecânicos.

“Como nossa pesquisa está sendo bem feita, paralelo as avaliações da Anvisa, já vamos começar a produzir na segunda-feira, pois quando a Anvisa autorizar já teremos equipamentos prontos”, disse.

Máscaras aprovadas pela Anvisa

A Tron, recentemente conquistou mais uma vitória. É uma das primeiras empresas a ter o aval da Anvisa para a produção de uma máscara com estética criada pelos piauienses.

“A nossa preocupação não é vender respiradores, mas ter parceiros para ajudar e avançar no desenvolvimento dos equipamentos”.

O equipamento oferece possibilidades também de atendimento por telemedicina (um profissional pode operar a máquina de outros lugar), faz todos os modos de operação (pressão controlada/ volume assistido e controlada/ pressão assistida e controlada e pressão de suporte).

O respirador piauiense, segundo o governador Wellington Dias (PT) pode ser uma alternativa não só para o Piauí como para todos os estados brasileiros.

“Não podemos ser uma ilha, o Piauí precisa buscar soluções também para o País. Estamos muito otimista com os resultados”, disse o governador.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

 

CONTEÚDO: CIDADE VERDE

Veja Também

Cerca de 8.500 pessoas com câncer no Piauí podem ter tratamento comprometido em 2020

No Piauí, 8.500 pacientes com câncer podem ter o diagnóstico e tratamento comprometido em 2020,  ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *